Escrevendo: Parte 2 – Nomes e Primeiro Capítulo

Então, planejar um romance dá mais trabalho do que eu imaginava! Porque nada pode ser escolhido aleatoriamente, pelo menos no meu caso. Não quero fazer as coisas por fazer, colocar um nome em determinado lugar ou personagem só por colocar e não porque isso quer dizer alguma coisa. No conto original eu fiz questão de inventar todos os nomes pensando no que eles queriam dizer sobre a narrativa. Parque dos Presentes, por exemplo, é algo que tem múltiplos significados. Presente é algo que você ganha, também é o momento atual no tempo e, mais, “Parque dos Presentes” é o parque que pertence aos que estão lá ocupando-o. Todos os esses significados funcionam na história.

E aí quero fazer isso com tudo, claro, e está bem difícil. A começar pelo nome da personagem. Eu a chamei de ViVi porque é um diminutivo (um apelido infantil) e também é o passado de viver e duas vezes o passado de ver. Escrevi dessa maneira porque, graficamente, eu queria mostrar o contraste entre o grande e o pequeno, que é justamente o conflito vivido pela personagem. Agora que estou desenvolvendo ela para o romance, resolvi que ViVi é diminutivo de Violeta que, entre o pessoal que estuda as cores, significa magia, mistério, imaginação, criatividade e fantasia. Sendo o nome de uma flor, também remete ao parque onde grande parte da história vai se desenrolar.

Ao mesmo tempo que penso nessas coisas, estou estruturando o primeiro capítulo. Não é uma tarefa muito mais fácil, aliás, porque algumas coisas precisam necessariamente serem ditas: quem é a personagem e do que fala essa história. O que eu quero é escrever uma situação que responda essas duas perguntas e, por fim, tenha um gancho introduzindo a Máquina Curiosíssima. Tenho já mais ou menos o que vai acontecer, mas ainda não comecei a escrever mais que rascunhos de descrições e diálogos. Mas esse planejamento, aprendi, é talvez a parte mais importante do processo. Especialmente porque a gente vai descobrindo o nosso método enquanto faz isso. Eu, por exemplo, funciono muito bem me perguntando “O que eu quero dizer nessa parte?” e, descobrindo a resposta, passo a procurar elementos que me ajudem a falar o que eu quero.

Com o conto foi assim. Eu pensei “quero contar uma história sobre uma menina que tem medo de crescer” e fui atrás de frases, objetos, descrições, nomes que me ajudassem a passar essa mensagem para o leitor. O mais difícil é balancear e, na maioria das vezes, só descubro se deu certo ou não quando deixo outra pessoa ler. Porque eu fico sempre achando que, ou eu fui muito óbvia, ou escondi demais a mensagem. Esse é o ponto chave: escrever uma boa narrativa é achar o ponto de equilíbrio.

Advertisements
Tagged , , , , , , , , , , ,

2 thoughts on “Escrevendo: Parte 2 – Nomes e Primeiro Capítulo

  1. Juliana says:

    Nossa!!!!

    Eu achei O MÁXIMO os significados dos nomes…eu até tinha me perguntado o porquê do nome da ViVi, e agora adorei você ter explicado…

    Vai ser lindo, Gabi, espero ansiosamente =)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: