2013 em livros – Janeiro

Como fiz em 2012, também estou anotando todos os livros que leio em cada mês para, no fim, ver como ficou a lista. Dessa vez resolvi juntar tudo e não só literatura. Então, aqui estão os livros que li em janeiro de 2013:

Morte Súbita, J.K. Rownling

Gostei bastante do livro, acho que foi um passo gigantesco na carreira da J.K. Rowling no sentido de mostrar que é capaz de criar além do universo Harry Potter. Os personagens são muito bem construídos e conflitos são bem bacanas, sempre misturando o social com o pessoal, o micro e o macro. A quantidade de personagens é um problema, porque demora muito para se acostumar e saber quem é quem, e também achei que o livro não precisava ser tão grande, poderia sobreviver muito bem sem algumas partes que não fizeram muita diferença para a história e acabaram o tornando a obra um tanto cansativa.

Introdução à Literatura Fantástica, Tzvetan Todorov

Amei! Perfeito para quem quer escrever, estudar ou se interessa por literatura fantástica. É bem bacana saber os conceitos e ver as obras sendo comparadas. Eu adoro estudar sobre literatura e não só ler e escrever, porque acho que é importante ter uma visão ‘de dentro’, saber como é a fundação e o que as pessoas pesquisaram e descobriram sobre isso. Esse gênero é o que eu mais quero escrever agora, então o livro veio na hora certa. Recomendo.

Do que eu falo quando eu falo de corrida, Haruki Murakami

Murakami é sempre Murakami, até quando não escreve romance e sim uma coleção de ensaios auto-biográficos. O texto é, como sempre no caso dele, uma delícia e até quem não tem intimidade com corrida (como eu) vai adorar enxergar esse mundo pelos olhos dele. Além disso, muitas e muitas reflexões sobre a vida de escritor, o mundo e as pessoas em geral. Meu favorito deste mês.

Cinema Pirata, Cory Doctorow

Eu escrevi bastante sobre esse livro aqui, e repito: tema completamente relevante e importante para os nossos tempos. Aliás, tudo o que o Doctorow fala nesse livro pode muito bem ser levado para a discussão sobre compartilhamento de dados e pirataria sem problema algum. O livro saí prejudicado, no entanto, por ser muito mais sobre uma ideologia do que sobre o personagem.

Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo, David Foster Wallace

Nunca tinha lido absolutamente nada do David Foster Wallace e realmente me surpreendi com a escrita dele. Um dos melhores escritores que já li, fiquei impressionada com a habilidade dele, é o tipo de texto que você pode não estar nem aí pra o assunto (como foi meu caso em vários dos ensaios desse livro) mas, porque ele escreve tão bem, se pega querendo agarrar cada uma das palavras.

O mendigo que sabia de cor os adágios de Erasmo de Rotterdam, Evandro Affonso Ferreira

Um dos livros que mais gostei no ano passado foi o Minha mãe se matou sem dizer adeus, por isso quis ler este do mesmo autor. O que eu esperava era uma história profunda, frases brilhantes e momentos tocantes, porque foi isso que me fez apaixonar pelo outro livro dele. E, de certa forma, encontrei tudo isso junto com um retrato duro e triste da vida dos moradores de rua, mas achei que dessa vez a forma prejudicou o conteúdo. Não consigo dizer exatamente o porquê, mas o estilo truncado e repetitivo do autor não me atrapalhou no Minha mãe… mas neste foi uma grande pedra no sapato.

Advertisements
Tagged , , , , , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: