Durante um ataque de ansiedade

Como existe um estigma estúpido com qualquer transtorno ou doença mental, as pessoas acabam não se informando sobre o assunto. Isso não só atrasa o diagnóstico e compromete o tratamento. Mas isso não acontece só com a pessoa que tem o transtorno/doença, é um problema também para seus amigos, familiares, amados em geral que, com as melhores intenções, tentam ajudar mas podem acabar atrapalhando.

Achei umas dicas de como ajudar alguém durante um ataque de ansiedade, traduzi e dei uma mudada em alguns pontos para colocar aqui. Mas, deixando claro, é um problema muito grande dizer para os outros o que eles podem fazer por mim… especialmente porque sempre me perguntam quando eu estou tendo um ataque de ansiedade e, como será explicado abaixo, é impossível responder algo decente nessas condições).

Reconhecendo

Diferente de um ataque de pânico, não é sempre fácil notar quando alguém está tendo um ataque de ansiedade. Alguns sinais que você pode procurar:

A pessoa

  • Começa a ficar pálida
  • Começa a suar frio
  • Fica, de repente, quieta e distante
  • Fica, de repente, nervosa e irritada

Lembre-se: se você achar que alguém está tendo um ataque de ansiedade e quiser ajudá-lo, chame-o para um local privado. Questionar uma pessoa sobre esse assunto no meio de um grupo pode ser embaraçoso e você vai acabar piorando a situação ao invés de ajudar.

Uma vez reconhecido, o que fazer

  • Barulho

Reduza o volume: CALMAMENTE, leve a pessoa para um local afastado de barulho. NÃO ARRASTE ela de maneira desesperada, porque piora a situação.

Música e TV: Lentamente, diminua o volume dos aparelhos sonoros ao redor da pessoa. Também não precisa fazer isso de uma forma desesperada, porque qualquer descontrole seu é algo que aumenta a ansiedade da pessoa que você está tentando ajudar.

  • Espaço

Dê espaço para a pessoa e, ao mesmo tempo, mostre que você está ali e não vai embora. Se a pessoa está sentada e você está de pé, é preferível que você se sente ao lado dela, fique no mesmo nível, assim ela não vai se sentir observada de maneira ameaçadora. Não deixe muita gente se aproximar, não fique muito perto. Uma mão amiga, no braço ou nas costas, pode ser bem vinda mas, se a pessoa lhe pedir para não encostar dela, não leve pra o lado pessoal. Essa é uma reação comum e compreensível, e fique ciente que até para formar aquela frase a pessoa precisou de um enorme esforço.

  • Comunicação

Fale de maneira clara e simples (num volume baixo). Não faça mais perguntas que o necessário, porque é difícil responder. Dê tempo para a pessoa responder, inclusive, porque o cérebro dela está mandando um monte de mensagens diferentes ao mesmo tempo. É difícil prestar atenção, entender a pergunta, saber o que quer, montar uma frase coerente em resposta. Não perca a paciência se a pessoa demorar pra falar. Normalmente, a pessoa não consegue saber o que quer nessas horas.

  • Paciência

Essa é a parte mais importante de todas. Durante um ataque, a pessoa já está se sentindo idiota e um peso para quem a ajuda (reação normal, isso é um sintoma também), e se você se destemperar e começar a pressioná-la, só vai fazer tudo ficar muito pior.

Como já foi dito, tomar decisões e responder perguntas simples podem ser coisas extremamente difíceis de se fazer durante um ataque de ansiedade. Seja super, mega, ultra paciente com a pessoa e continue sendo mesmo que demore pra ela responder algo que, pra você, é simples e fácil.

Também tente ser previsível. Surpresas e reações inesperadas são um gatilho para a ansiedade. Qualquer coisa diferente já faz mal para alguém com esse problema quando a pessoa está sob controle, imagine durante um ataque.

  • Ajuda

Ajude a pessoa a focar em outra coisa. Pedir que ela leve as mãos até a cabeça, ou a mão direita até o ombro esquerdo, essas coisas ajudam a fazer o cérebro se preocupar com outra coisa além da ansiedade. Quando for pedir que a pessoa faça esses exercícios, lembre-se de fazer também junto com ela, e de falar pra ela que ela está indo bem.

Também pode ajudar pedir que a pessoa conte com você de 1 a 10, respirando fundo entre os números (respiração curta é um dos sintomas mais comuns de ansiedade).

Lembre-se

Ficar ansioso antes de uma prova é muito diferente de ter um ataque de ansiedade.

O medo domina a pessoa completamente e, às vezes, não existe motivo algum. Transtornos não precisam de motivos ou desculpas, eles acontecem a qualquer momento.

Seja paciente, gentil e calmo.

PS:

Cada pessoa é única e as experiências que ela sente também são. Se você quer ajudar alguém que está tendo um ataque de ansiedade, uma forma boa de começar é perguntar para essa pessoa o que ela precisa de você. Algumas técnicas funcionam para umas pessoas mas não funcionam para outras. Faça sugestões e veja se a pessoa se sente melhor, peça e respeite a opinião dela.

Advertisements
Tagged , , , , , ,

2 thoughts on “Durante um ataque de ansiedade

  1. Juliana says:

    No meu caso, uma coisa que funciona bem é ir pra algum ambiente mais amplo, com janelas, de boa ventilação. Respirar ar puro ou sentir um vento fresco no rosto me ajuda MUITO a me acalmar. Ficar em lugares fechados ou com mt gente não é bom porque aumenta a chance de eu me sentir presa e ter claustrofobia…

    • Sim, por isso falei que cada pessoa tem suas necessidades únicas. Eu, por exemplo, gosto de me cobrir se tiver um cobertor por perto (o que não acontece se não estiver em casa), e lugares fechados me fazem sentir segura e não presa.
      Por isso é importante perguntar pra a pessoa!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: